Bem....acho que entrei na onda de "blog"...Quem diria...Agora sou uma
blogueira!!!...hehehehe. Mas enfim, só pra refletir sobre coisas que não sabemos por onde ou como começar...posso afirmar que tudo se inicia por algo pequeno e simples :)

quarta-feira, 14 de abril de 2010

A arte de escrever . . . .




Bem, irei fazer jus ao título de meu blog...."por onde começar"....Estou dizendo isso porque escrevi tanta coisa legal sobre o que pretendia passar adiante neste post, quando de repente, só de tocar em uma tecla (errada) perdi tudo...Até mesmo o que estava já salvo....Mas digamos que isso faça parte da arte de escrever, já que muitas vezes é preciso escrever, e depois reescrever...

Assim como havia comentado em meu post anterior que tinha algo importante para fazer, digo que estou fazendo isso agora. Pois é...., escrever no meu blog é algo de grande importância, uma vez que aqui é uma forma de aplicar um pouco de tudo que já vivi e aprendi em minha vida ;) No entanto, também gostaria de aproveitar a ocasião para me dirigir a todos vocês que leem meu blog, e assim pedir desculpas por certos erros de Português que por ventura venho a cometer. Não falo isso simplesmente por que surgiu no momento inspiração para fazer, mas sim porque recebi uma crítica (que por sinal agradeço muito) de meu irmão Alexandre, que logo após ler meu blog disse que eu escrevi muitas palavras erradas, e também que não sabia fazer a concordância da Língua Portuguesa. Sendo assim, peço "desculpas" a todos vocês. Prometo que a partir de então irei fazer o possível para não "machucar" o nosso amigo "Português", e sempre melhorar para deixar a leitura de vocês mais prazerosa.

Apesar de já conhecer a Língua Portuguesa há um bom tempo, confesso que de vez em quando cometo alguns erros (mesmo que eu saiba que já deveria saber muito bem a minha língua nativa). Mas todos somos humanos, e uma das coisas importantes que temos que fazer em nossa vida é aprender constantemente, ou seja, eu ainda faço parte desse processo. Porém, mesmo que a internet seja um local em que a maneira "informal" de se escrever seja aceita sem nenhum problema, irei fazer deste blog um espaço para poder aprimorar, fortalecer e lapidar tudo o que já sei sobre esse idioma tão bonito (mesmo que também tenha uma gramática em certos pontos tão complexa). Essa é apenas uma forma de retribuir a esta língua que me ensinou a conhecer o mundo em que vivo, a falar a minha primeira palavra (em português...rs), a expressar as coisas que sei e que sinto,e bem como a compreender o que as pessoas querem dizer, que me deu oportunidade interagir com minha família e amigos através de plavras bonitas e divertidas, e de cantar aquelas canções que me fazem feliz!

Mesmo que algumas pessoas pensem que escrever é apenas uma forma que temos para nos expressar, posso dizer e afirmar com todas as letras que escrever é muito mais..."Escrever é arte e exercício". Do mesmo modo como um pintor vai fazendo suas obras, e com o passar do tempo aprimorando as suas técnicas, e em alguns momentos fazendo um simples esboço, em outros melhorando aquilo que já foi feito, assim também nessa arte que é escrever também podemos realizar grande proezas e ir muito longe, alcançar coisas que muitas vezes nem passou por nossa mente. Posso ainda dizer que através da escrita podemos progredir em muitos aspectos, podendo descobrir um mundo novo, e também definir um mundo melhor para se viver, além de poder defender nossos ideais. Mas para isso acontecer e seguir adiante é preciso buscar sempre nos exercitar através da escrita; com isso poderemos trazer a força necessária para a nossa alma e seguir adiante em nossa caminhada.O bom disso tudo é que até mesmo aqueles que não se interessam pela arte da escrita, ou julgam não gostam de fazer isso também são verdadeiros artistas :)


Agradeço por todos aqueles (meus pais, professores...)que me ajudaram a reunir as letras e depois escrever minhas primeiras palavras, assim pude descobrir o significado delas...Consequentemente fazer minhas frases e logo escrever as coisas que pensava...Houve também ocasiões em que uma pessoa dizia algo que nem imaginava ser, mas assim criou a oportunidade para que uma nova palavra e todo um universo fosse descoberto. Vale lembrar que os livros abriram janelas para que eu conhece um mundo enorme de informações, além de conhecer um pouco mais a mente das pessoas, e viajar por muitos lugares sem sair de casa...Realmente este é um valioso presente para a humanidade de forma geral, seja para aquele que escreve (que contribui com as coisas que sabe e com a sua forma de pensar), e para o indivíduo que lê (já que tem a chance de expandir seus horizontes).

Seja em um pedaço de papel, na areia da praia, no livro grande ou pequeno, na tela de um computador, no quadro da escola, nos diversos idiomas (português, alemão, inglês, japonês, francês....), através de um e-mail, nos quadrinhos de um gibi, nas poesias, e até mesmo um recado no espelho....todas as formas de se expressar na forma escrita nos levam a ter grandes momentos de alegria e aprendizagem mútua. Mesmo que eu não almeje ser uma "artista" acredito que seria algo muito bom...rs.Imagina só ter a chance de escrever um livro e compartilhar suas idéias com o mundo? Ótimo, não é!

Admiro aquelas pessoas que quando escrevem fazem isso de forma natural, como um sentimento que vem do coração...Essas pessoas talvez não compreendam o potencial enorme que possuem, porque além de todo o reconhecimento de seu valor diante da sociedade, elas também trazem uma nova visão e em muitas vezes esperança para aqueles que se tornam seus leitores. Acho que dá pra perceber que sou uma pessoa que escreve demais, né...Mas uma de minhas intenções é mostrar como a Adriane pensa, e como ela é, querendo lembrar que independente do que aconteça sempre vai existir o lado bom da vida!!!

Gostaria de compartilhar trechos de um texto que li em um site chamado "cartas do Paraíso", que acredito ser uma poesia de uma jornalista de nome Cida Almeida, de Goiânia, e faço das palavras dela as minhas também:

"Então, esse meu reencontro com o gosto da palavra, com o gosto da existência também na força e beleza do verbo (que todos almejamos), vem com um sentido profundo de restauração de sentidos, mesmo na errância da travessia, com aquela necessidade de tocar o barro fundo da existência, mas sem grandes pretensões. Escrevo porque é um processo vital pra mim e porque me dá prazer.

...

Escrevo para não endoidecer de tanto pensar. Definitivamente, não escrevo para ficar. Escrevo para repousar e sonhar com a mesma inspiração divina que levou o primeiro homem a rabiscar a pedra.

...

Escrevo para simplesmente ser.

...

Escrevo porque a vida é um acontecimento e fui alfabetizada com ouvido cativo de ouvir as estórias do meu pai. Escrevo para não perder o encanto da sua voz na minha alma. Escrevo para nunca esquecer a profundidade silenciosa do afeto da minha mãe.

...

Escrevo para evaporar, para gastar o lápis, secar a tinta da caneta, ir até o fim do caderno e lá chegando colocar ponto final, mas por dentro mal contendo aquele desejo de cravar: e foram felizes para sempre.

...

Escrevo para ter fé de que dias melhores virão...

...

Escrevo para sonhar com o futuro. E porque Júlio Verne era mais esperto que os cientistas e sabia dar vida às coisas que aconteceriam no futuro do meu tempo, no prazeroso aqui e agora.

...

Escrevo porque a vida é um drama e eu preciso do sossego do cantinho espremido da página de um livro, mesmo que imaginário.

...

Escrevo porque qualquer página em branco, mesmo que seja a tela do computador, me dá uma fissura danada.

...

Escrevo porque tive um dia bom. Escrevo porque tive um dia ruim. Escrevo porque tive um dia mais ou menos. Escrevo pela força do hábito.

...

Escrevo essencialmente porque me dói escrever e também me dói não escrever. Escrevo descaradamente, sem inspiração, sem a menor crença na transpiração.

...

Escrevo porque você me trouxe flores.

...

Escrevo para transformar dor em flor.

...

Escrevo com a humildade da primeira vez em que peguei num lápis e rabisquei conscientemente a primeira letra.

...

Escrevo para rabiscar por cima, nunca apagar.

...

Escrevo porque a escrita me liberta de mim.

...

Escrevo porque adorava receber cartas e mais ainda de respondê-las.

...

Escrevo porque o mundo é cheio de estímulos e eu sou um terminal nervoso.

...

Escrevo porque penso melhor escrevendo. Escrevo para ser prosaicamente um texto
fácil.

...


Escrevo para amar melhor e me amar mais ao longo de um longo dia.

...

Escrevo quase acreditando que posso transformar dor em flor. "

Nenhum comentário: